31.08.2017

os convites da DONA COISA

A importância dos convites na história da Dona Coisa é enorme. Quando encomendei o primeiro para a Marcia Cabral foi para chamar as pessoas para o lançamento de uma coleção. Ela fez um convite tão lindo que teve uma repercussão imensa. No segundo, a imagem de uma flor foi bordada no papel. Outro impacto! E como diz a Marcia: “É justamente nesses meandros improváveis que a Dona Coisa investe. Transportar este comportamento para a expressão gráfica é conseguir a ressonância entre nossos dois mundos”.

A partir daí, já amigas, comecei a entender sua dimensão estética. A Dona Coisa tem quase 12 anos e a gente se conhece há dez. Pedi que os convites fossem o reflexo do que havia de muito importante em minha vida naqueles momentos. Sou suspeita, mas considero cada convite uma preciosidade! Conversávamos longamente pelas madrugadas e Marcia transformava meus sentimentos no mote das coleções. Optei por não falar de cores ou tendências.

Quando achava que meus sentimentos pudessem parecer tristes, num mundo que valoriza tanto a alegria, o resultado visual vinha com uma beleza comovente. Quando resolvi assumir temas como solidão, amor, paixão, olhar, Marcia, como filósofa que é, trazia um embasamento consistente muito além do que eu esperava. Entendi através desses convites que quando um sentimento é verdadeiro, seja ele qual for, a beleza é intensa!

Num momento em que tudo estava muito over falamos da simplicidade. Valorizo demais as coisas simples, minimalistas. E assim fomos desvendando vários temas até que minha amiga querida, Liliana Leirner, mulher do Nelson Leirner, devolveu dois convites: um com interferência dela e outro dele. Viraram obras de arte! E isso se tornou um hábito. Hoje tenho uma coleção de convites customizados por eles e estão emoldurados na entrada da loja.

Quando falei de amor, fizemos uma pesquisa com letras de músicas e poesias. Montamos um patchwork com as frases e cada uma tinha uma caligrafia diferente. Na vitrine da loja estavam as frases de vários sonetos e usamos também frases minhas como ‘Não me lembro de mim sem estar amando’ e ‘Não consigo viver sem amor’.

Agora sinto vontade de falar de desejo, com substância. Sem desejo não há nada. Existe coisa melhor do que sentir desejo? Não existe um botão ligue/desligue. Não basta dizer: quero ter o desejo… Ele existe ou não.

Acho que as pessoas têm que voltar a ouvir seus desejos. Essa crise pela qual passamos afetou nossos desejos. A gente começou a não se ouvir, então lembrar e tentar atender os desejos seria muito bom.

A Dona Coisa tem esta intenção, a de participar de seus desejos!

Comente pelo Facebook
Comente pelo blog
  1. Vera balteiro
    em 31 de agosto de 2017 - 17h41

    É muita poesia em sintonia com esta Pessoa tão intensa que é a Roberta.
    O resultado é sempre uma perfeição.
    Parabens!!!!!

  2. elda priami
    em 31 de agosto de 2017 - 19h29

    Que lindo tema! Através dos convites a gente conhece a história da Dona Coisa e a personalidade dinâmica e super energética da Roberta Damasceno! Bravo!

  3. elda priami
    em 31 de agosto de 2017 - 19h30

    Viva Marcia Cabral que junto com Roberta Damasceno é show!

  4. Patricia Xavier
    em 01 de setembro de 2017 - 15h08

    Post Maravilhoso! Os convites são o máximo ❤️

  5. Paco
    em 02 de setembro de 2017 - 10h00

    Esses convites são muito
    Especiais,Parabens!

Voltar para o Topo