22.06.2017

café da dona coisa DC LÁ EM CIMA

Já imaginava ter um café, integrado à Dona Coisa, desde a sua inauguração. No ano passado, depois de uma obra, o café do segundo andar foi ampliado, e faz parte das multicoisas que amo muito. A maluquice é que mantenho o mesmo conceito da loja: procurando o que considero mais especial! A nossa proposta não é ter muita comida, mas tudo com muita qualidade e fora do padrão convencional.

Um dos grandes prazeres da minha vida é comer, por isso gosto de escolher produtos que tenham sutilezas, contrastes delicados de aromas e jogos de texturas. Para as clientes, o café é uma pausa para saborear algo exclusivo, salgado ou doce. Ou tomar um espumante, um chá de hibisco… Para quem aprecia lugar calmo e charmoso é um refúgio.

O cardápio tem uma ligação forte com a minha memória afetiva. Procurei ter no café coisas que adoro, a começar pela canja que minha mãe faz muito bem, e manda para minha casa sempre que preciso de algo reconfortante. Além de saladas temos rocambole de lombo de bacalhau, massas, com ou sem glúten, waflle de tapioca, pão de queijo com requeijão trufado, entre outras coisas. Enfim, comidinhas escolhidas para um almoço com ou sem culpa. Não quero perder a essência das coisas que me emocionam.

E tem os doces, que amo mais do que deveria! Aí está a minha perdição… Não resisto, muitas vezes, ao bolo de laranja e a torta de violeta, de Vera Balteiro, aos bolos de banana e red velvet, de Julia Sagrario, e as tortas especiais de Eloi Nascimento. Estou rodeada de ótimas tentações!

A novidade é o café da manhã, cuja atração é o ‘café com pão’. Quem resiste a um pão na chapa? Acho que poucos. Nosso diferencial é oferecer um pão divino, de produção limitadíssima, integral ou clássico, que leva 24 horas para ser feito. A manteiga é de excelente qualidade e ainda vem com um tico de alguma geleia, só para ficar lindo, além de delicioso! É servido diariamente em qualquer horário. A coisa mais simples do mundo revela segredos de outros tempos. Nosso café, do barista, com espuma de leite, é muito especial. A louça é um plus, e que seja uma surpresa para quem ainda não a conhece.

O ambiente do café ficou super aconchegante. As pessoas têm vindo cada vez mais para fazer reuniões ou se encontrar com amigos. Quando pensei no café queria que fosse um lugar charmoso, sem moda. Ele fica à côté da papelaria, livraria, perfumaria e dos objetos para casa. Essa mistura remete à identidade da Dona Coisa.

Gosto de acolher meus clientes com alguns prazeres. Se estiverem com sede ou fome, eles encontram no café coisas bem saborosas. Virou um lugar para ótimos encontros. É um valor agregado à Dona Coisa que não tem preço: a satisfação de mais um de nossos sentidos.

Hoje não conseguiria imaginar a loja sem o café!

Sanduíche de rosbife, um sucesso!
Sanduíche de rosbife, um sucesso!
Nhoque de Batata Doce Bendito
Nhoque de Batata Doce Bendito
Rondelli 100% Integral Bendito
Rondelli 100% Integral Bendito
Mini Dog Bendito
Mini Dog Bendito
Canelone 100% Integral Bendito
Canelone 100% Integral Bendito
Sanduíche de porchetta
Sanduíche de porchetta
Massa de arroz com pesto orgânico e queijo parmesão ralado
Massa de arroz com pesto orgânico e queijo parmesão ralado
Chá gelado de hibisco
Chá gelado de hibisco
Tartelete de limão: casquinha de farinha de arroz, recheada com creme de limão sem glúten e sem lactose, coberta com delicioso suspiro
Tartelete de limão: casquinha de farinha de arroz, recheada com creme de limão sem glúten e sem lactose, coberta com delicioso suspiro
sabores diversos de green people
sabores diversos de green people
pão de queijo curado/nuvem de queijo guyere com parmesão recheada de peito de peru/ mini dog + green people de pink chia
pão de queijo curado/nuvem de queijo guyere com parmesão recheada de peito de peru/ mini dog + green people de pink chia
cookie de baunilha com chocolate branco e cookie de chocolate
cookie de baunilha com chocolate branco e cookie de chocolate
pão na chapa de massa levin + café expresso
pão na chapa de massa levin + café expresso
Sanduíche de rosbife, um sucesso!
Nhoque de Batata Doce Bendito
Rondelli 100% Integral Bendito
Mini Dog Bendito
Canelone 100% Integral Bendito
Sanduíche de porchetta
Massa de arroz com pesto orgânico e queijo parmesão ralado
Chá gelado de hibisco
Tartelete de limão: casquinha de farinha de arroz, recheada com creme de limão sem glúten e sem lactose, coberta com delicioso suspiro
sabores diversos de green people
pão de queijo curado/nuvem de queijo guyere com parmesão recheada de peito de peru/ mini dog + green people de pink chia
cookie de baunilha com chocolate branco e cookie de chocolate
pão na chapa de massa levin + café expresso
15.06.2017

espelho MEU

Para comemorar dez anos da Dona Coisa tive o desejo de criar uma marca própria. Assim nasceu, em setembro de 2015, a Nº Dez, que pretendo que seja reflexo da minha personalidade, com roupas que uso ou que adoraria usar se ficassem bem no meu corpo. Digo isso, pois admiro também modelos que não uso, mas sei que podem ficar bem em outras mulheres.

Depois de 11 anos e meio rodeada por tantas roupas especiais tenho a noção ainda mais definida do que realmente me encanta, e é uma felicidade conquistar cada vez mais pessoas que se reconhecem no que propomos. Isso me animou a fazer um trabalho ainda maior ligado ao que amo tanto, que é a moda.

É um novo negócio que aprendo aos poucos. Meu olhar estava treinado só para o produto final, agora eu o exercito para esta outra experiência. Dirijo a criação das coleções e também convido estilistas com um viés autoral. Como me envolvo desde a compra do tecido até a peça pronta percebo melhor a linguagem que existe na roupa. Provo as peças pelo prazer de sentir as modelagens, o conforto, as texturas, as sutilezas dos detalhes. E pela mania de tentar chegar mais perto da perfeição. Faz parte da minha natureza.

Na época do lançamento da Nº Dez, Marcia Cabral, que além de amiga é uma designer gráfica que tanto admiro e trabalhamos juntas há oito anos, trouxe três estudos de logomarca. A que tinha uma diferença de cor sugerindo a palavra nudez foi a que escolhi, imediatamente. Faz todo sentido!

Destaco no outono-inverno 2017, a linha de smoking. Um dos meus sonhos era ter um smoking do Saint Laurent, fica aqui minha ‘homenagem particular’ a ele. Gosto muito porque representa a festa atemporal na qual acreditamos: chique e simples ao mesmo tempo. A série de poucas peças – calça, jaqueta, macacão, vestido-colete -, em preto e branco, é assinada por Mareu Nitschke, cada vez mais parceiro e que traz nova informalidade.

Agora posso confessar: quando comecei a estruturar a Nº Dez, ao mesmo tempo começava a reformar o café da loja. Todos diziam que era o momento para ficarmos quietos. Não fiquei. E me dividia entre os dois projetos tão opostos. Tinha hora que não ousava contar tudo o que estava fazendo, era muita coisa ao mesmo tempo. Só sei que faria tudo de novo. Percebo agora que não sei viver sem criar novidades, e quando quero alguma coisa vou ao encontro dela. Não consigo resistir!

Liza S para Nº DEZ INVERNO 2017
Liza S para Nº DEZ INVERNO 2017
Liza S para Nº DEZ INVERNO 2017
Liza S para Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Liza S para Nº DEZ INVERNO 2017
Liza S para Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Liza S para Nº DEZ INVERNO 2017
Liza S para Nº DEZ INVERNO 2017
Liza S para Nº DEZ INVERNO 2017
Liza S para Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Liza S para Nº DEZ INVERNO 2017
Liza S para Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Liza S para Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Liza S para Nº DEZ INVERNO 2017
Liza S para Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
Nº DEZ INVERNO 2017
08.06.2017

trampolim

 

ilustração: reprodução

Foi com certo medo que perguntei ao meu pai: posso pular? E ele com uma voz bem tranquila, respondeu: “Pode”. A piscina do clube tinha um trampolim muito alto e eu uns sete anos. Tudo o que ele falava que eu podia fazer eu fazia. Confiava totalmente nele. Era tipo meu herói. A altura me assustava, mas a sensação do voo era muito boa e me entregava àquele mergulho.

Quando comecei a Dona Coisa, há 11 anos e meio, tive a mesma sensação de quando pulava do trampolim: um prazer enorme e, ao mesmo tempo, a consciência que corria certo risco. E a certeza que poderia realizar meu projeto. Acho que a imagem do trampolim ficou marcada para sempre em minha vida. A Dona Coisa tem muito dessa sensação de confiança e coragem, uma adrenalina que gosto de sentir.

Tenho um filho e costumo dizer que a loja é uma filha, no sentido da atenção que dedico a ela. Hoje, a lojinha inicial se transformou em três casas. Gosto da fachada retrô, que mantém a arquitetura dos sobrados dos anos 40, em contraponto com a parte interna, mais moderna, inteiramente simples, com espaços divididos por temas. Tento ser uma multimarca com preciosismo de monomarca, por isso sempre fico me devendo alguma coisa. E acabo dando um jeito de colocar mais produtos que me encantam. A complexidade da Dona Coisa está no desafio em manter o padrão de excelência com toda a sua diversidade.  Isso me motiva a andar no sentido contrário ao que me parece ser o mais óbvio.

Assim que entro na loja gosto de sentir o perfume do ambiente, ver a arrumação dos produtos, ouvir a música… Gosto de estar rodeada do que me dá prazer, e, dessa maneira, acredito que conseguimos oferecer o melhor para as pessoas que frequentam a Dona Coisa. Afinal, nossa proposta também é provocar uma experiência sensorial. Gosto de ficar na área de vendas e, antigamente, era eu uma das vendedoras. Adorava! Agora não tenho tido mais tempo, mas estou rodeada de pessoas que amam o que fazem e me dão o feed back das clientes. Somos um time!

Tenho orgulho de trabalhar com produtos nacionais e pouquíssimos estrangeiros. Sempre valorizei nossos melhores estilistas e designers que se expressam de maneira autoral. Também é muito bom descobrir novos artistas. Meu coração é sempre curioso e sempre quer mais!

Para a Dona Coisa fica o compromisso de surpreender sempre com o foco num tripé: qualidade, atemporalidade e conforto. Amo o meu trabalho de curadora, e sinto como verdadeiro luxo de minha vida fazer o que me dá prazer!

01.06.2017

por que UM BLOG?

 

A revolução digital é mais um impulso de comunicação. Como sou movida a impulsos, por que não me aventurar em nova experiência? Um blog!

Sinto que nesse momento preciso me comunicar mais. Tenho vontade de partilhar com mais pessoas um projeto que já tem 11 anos e meio, a Dona Coisa, com tantas histórias e novas experiências que surgem a cada dia.

Quem me conhece sabe que não consigo viver sem inventar novidades – não paro de promover eventos -, e, normalmente, não faço uma só coisa ou uma coisa de cada vez. Se não estiver tudo misturado, ao mesmo tempo, agora, não acho muita graça. Ecos do tempo do mercado financeiro, talvez, quando fui operadora de open e de bolsa. Desde muito jovem gosto de fazer inúmeras coisas ao mesmo tempo e de ter approaches diferentes. Às vezes, meu dia vira um turbilhão e nunca sei como terminará, e muito menos como será o dia seguinte. Isso tem a ver com minha personalidade e minha formação. Com o blog coloco mais um pouco de adrenalina em minha vida!

Sempre digo que a Dona Coisa é um desdobramento dos meus desejos. Na multimarca, no café da loja, DC Lá Em Cima, e na Nº Dez, nossa própria marca, estão as escolhas que faço. Sinto muito prazer em conviver o tempo todo com o que considero belo, confortável, gostoso… Na Dona Coisa estão as coisas que amo, que descubro para oferecer às pessoas. Quando percebo que algo me emociona procuro ter na loja. Embora o foco principal seja a moda, as joias, os acessórios e os objetos reforçam a ideia de exclusividade. Não ter um padrão definido pode ser surpreendente!

Hoje sou uma mulher feliz com a minha identidade, com minhas qualidades e meus defeitos. Penso que devo muito ao meu trabalho na loja. Não sei como eu seria sem ela, só sei que minha personalidade, meu estilo, minha vida, minha autoestima estão muito ligados a esta realidade profissional.

Fui pioneira em abrir um negócio diferenciado na Rua Lopes Quintas, no Jardim Botânico. Lembro que a primeira matéria sobre a loja dizia: “Tinha tudo para dar errado a começar pelo nome, Dona Coisa, e numa rua que não tinha nenhuma atração de consumo”. Em seguida dizia: “No entanto, é uma loja muito simpática…” só elogio. Respirei aliviada.

Hoje brinco que vendo de pãozinho de queijo a um objeto de design caríssimo passando por flores, livros, papelaria, arte… E tudo mais que me encanta, me motiva e me traz felicidade. Penso que a Dona Coisa pode causar as mesmas emoções para quem a frequenta.

Acredito que o blog possa atingir ainda mais pessoas que se sensibilizam com beleza aliada à qualidade. Como sou exigente quase nunca fico satisfeita com o que consegui. Acho tudo pouco e sempre quero mais. Meus amigos costumam brincar comigo por causa disso, mas gosto de partilhar as coisas que, efetivamente, me dão prazer. Então, a música que ouço em casa, as flores que escolho para os ambientes, a comida… ‘quase’ tudo o que adoro na minha casa está na loja. As minhas consumidoras já entenderam esta proposta.

Considero muito luxuosa a minha vida, porque tenho tempo para trabalhar, andar de bike e estar com as pessoas queridas ao meu lado. É um privilégio poder viver em busca de coisas belas, pois tudo isso me traz imenso prazer. Acho que minha força e vivacidade vêm daí. Estou animada em partilhar experiências no mundo digital. Acredito que vale a pena construir um caminho próprio.

Afinal, o blog não deixa de ser uma maneira de preservar o efêmero!

Voltar para o Topo